Consumo pós pandemia

Impactos da Pandemia de Covid-19 no Comportamento de Consumo

Já são mais de 100 dias vivendo e se adaptando à uma nova rotina desde o avanço do covid-19 no Brasil e no mundo. Como bastam 66 dias (há quem diga que são necessários apenas 28) para a criação de novos hábitos, já temos um período suficiente para analisar e entender os impactos do covid-19 no comportamento de consumo durante e pós pandemia.

Um recente estudo da Kantar, empresa líder mundial em coleta e análise de dados, mostra que muitos brasileiros afirmam estar gostando dos novos hábitos e 61% afirma que pretende continuar mantendo após a quarentena. Esse número aumenta para 65% quando falamos de mulheres com filhos. 

Quando direcionamos nossa atenção para os hábitos de compra, nota-se que 46% dos pesquisados afirma que está realizando mais compras online e deseja se manter assim, 50% quer seguir focando mais no desenvolvimento pessoal e 28% pretende seguir utilizando mais mídia online do que antes.

Imagem 1: Hábitos adquiridos durante a quarentena que devem ser mantidos:

Nesses simples dados já identificamos uma série de oportunidades, como direcionamento do seu negócio para vendas online, aumento no consumo de cursos, workshops e demais aulas online que possam promover esse desenvolvimento pessoal contínuo, assim como um público novo que passou a conhecer mais as vantagens agora e que parece estar se adaptando bem e seguir com essa intenção daqui pra frente. Quais oportunidades a mais você consegue enxergar? Aumentar a produção de conteúdo sobre seu negócio dado que 38% das pessoas estão lendo mais e dispostas a seguir assim? Faça esse exercício, identifique oportunidades dos dados acima e veja de que forma você pode inovar no seu negócio para se manter relevante no jogo.

O distanciamento social tende a ser algo menos passageiro do que o vírus, pois 74% das pessoas afirmam que mesmo após a quarentena, desejam evitar aglomerações e lugares lotados. Ou seja, a consciência muda, não somente o comportamento de consumo.

Já sabíamos que a Transformação Digital é uma realidade que está acontecendo a passos largos, mas temos a certeza que a pandemia veio para acelerar os processos, devido a necessidade real que surgiu de realizar compras e vendas sem contato pessoal. Como diz o velho ditado: “a ocasião faz o ladrão”, quem ainda não estava encorajado a entrar de cabeça nessas mudanças, se viu obrigado a fazer isso com velocidade. Isso se deu pela necessidade de sobrevivência dos negócios, se adequar não é uma mais somente uma opção. E isso não é passageiro, veio estabelecido como uma nova forma de rotina e de comportamento. Aqueles que não compravam online por simples falta de hábito ou medo, se viram obrigados a aprender esse novo formato (e gostaram!) assim como aqueles que não vendiam e se comunicavam de forma madura no mundo online se viram na obrigação de aprender como fazer.

Se antes faltava ousadia e coragem para muitos, a necessidade empurrou muitos outros para esse mundo virtual prático, assertivo e ágil. Descobrir tais vantagens na forma de se comunicar e vender pode ser o pulo do gato não somente para sobrevivência e saúde de negócios, mas também um impulsionador que traz novo fôlego e motivação para reinvenção de negócios e formas de atuação. Um desafio que te obriga a sair da zona de conforto e se abrir para o novo pode ser visto com olhos de angústia ou com olhos de oportunidade, depende exclusivamente de que forma o empresário vai enxergar, por isso falamos sempre que Transformação Digital necessita mais de energia do que necessariamente recursos financeiros.

A pandemia traz consigo aprendizado de novas formas de comprar, vender e conviver. Marcas que buscarem sair da zona do medo para entrar na zona da oportunidade terão vantagem competitiva. Vantagem essa que não precisa de necessariamente mais recursos, mas sim de ousadia e coragem de mudar o rumo.

Fonte dos dados: Kantar COVID-19 Barometer. Onda 5 – maio/20.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *